Buscar

de sonhadora à escritora - parte 1



Desde novinha sempre tive uma personalidade sonhadora e romântica. Vivia fanficando histórias em minha cabeça com os crushes platônicos ou até mesmo se achava alguém interessante durante algum passeio aleatório, como ir ao shopping num domingo em família, por exemplo.


Quando visitava a casa de algum parente, podia imaginar como seria se eu passasse um período de férias ou até mesmo morasse ali, quem conheceria, situações que vivenciaria... minha mente não parava de criar histórias.


gif

Eu não fazia ideia de que ter uma imaginação tão fértil um dia seria minha fonte de renda, mas já estava lá o dom de criar as mais diversas histórias. Sempre esteve. Era algo como "O fantástico mundo de Bobby", mas no meu caso se tratava do "fantástico mundo da Evy".


Aprendi a ler aos seis anos, com um colega do pré-escolar. Ler é algo que passei a amar desde muito cedo, dos contos de fadas aos livros disponíveis para alugar na biblioteca da escola e, até ajudante da bibliotecária durante o recreio eu fui. Depois da coleção Vaga-lume, dei uma driblada nos clássicos que, sim, não sou fã, e fui parar na sessão de mitologia grega. Queria estudar história. Da Grécia fui parar no Egito, dos deuses gregos me apaixonei por múmias. Enquanto isso, a mente sempre fervilhando "sonhos" que nada mais eram do que minha imaginação criando enredos próprios.


Assim como os livros, os filmes sempre me chamaram atenção. Conforme fui crescendo cheguei a desejar ser cineasta, para então transformar em filmes todas as histórias que brotavam em minha mente. Foi a partir dali que passei a anotar todas as ideias em cadernos. Antes disso, já tinha o hábito de escrever em diários. A escrita à mão é uma das minhas paixões. Adoro o mundo digital, mas o analógico ainda me seduz!


gif

Lembro das minhas primeiras fanfics, escritas em folhas do caderno escolar, onde transformei a mim e minhas amigas em heroínas, descrevendo aventuras cotidianas e deixando que essas páginas circulassem entre os colegas de turma, meus primeiros leitores!


Além dessas histórias, amava escrever peças de teatro para apresentar os trabalhos de uma forma mais divertida e interessante. E apesar de hoje isso ser muito claro para mim, na época nem me passava pela cabeça que meu caminho estava ligado ao mundo da escrita.


O primeiro romance que li e me marcou foi BRIDA, do Paulo Coelho. Um divisor de águas para mim que até então tinha O ESCARAVELHO DO DIABO — coleção Vaga-lume — como um dos meus livros favoritos, mas BRIDA chegou para expandir os horizontes. A partir dele comecei a me interessar por histórias mais complexas e adultas.


Durante a adolescência, lendo os romances de banca que minha mãe comprava num sebo, eu era apaixonada pelas histórias de amor que conhecia e ficava imaginando como seria legal se virassem filmes.


Outro livro que me marcou muito foi UM ANO INESQUECÍVEL, sendo atualmente conhecido como UM AMOR PARA RECORDAR, do Nicholas Sparks. Na época ele ainda não havia sido publicado no Brasil por uma editora tradicional, mas fazia parte de uma coleção da READER'S DIGEST, em um livro com mais três histórias inéditas. Lembro que chorei demais e achei linda, mesmo triste.


gif

Foi assistindo ao filme que me dei conta de se tratar da mesma história. Nessa época eu não fazia ideia de que livros podiam realmente virar filmes, o que não faz muito sentido porque já assisti Harry Potter e os live actions da Disney, mas foi com UM AMOR PARA RECORDAR que se tornou fato.


Mais um livro que se tornou marcante, anos depois, foi O CÓDIGO DA VINCI, do Dan Brown. E quem diria que ele também teria sua versão cinematográfica? Pois é!


Engraçado pensar em ser cineasta, para dar vida às histórias que eu tinha em minha mente, mas nunca ter cogitado ser escritora, não é? Pois foi isso mesmo! Jamais cogitei ser escritora, até ser!

E aconteceu depois que li o famoso 50 TONS DE CINZA, de E. L. James. Descobri a SÉRIE CROSSFIRE, de Sylvia Day. Caí de amores pelo CRETINO IRRESISTÍVEL, de Christina Lauren. Conheci o BELO DESASTRE de Jamie McGuire... e o Universo das fanfics de Crepúsculo e outras histórias!


Com esse Universo, acabei compartilhando com uma amiga sobre as histórias em cadernos que eu tinha há anos. Foi ela que me incentivou a postar no Nyah Fanfiction e a partir daí comecei me aventurar no mundo da escrita.


De leitora voraz, tornei-me uma escritora! Por hobby, claro... eu ainda não imaginava que viveria das minhas próprias histórias.


Mas isso fica para um outro post ♥